Arquivo da categoria: Pop

Saiu o clipe da ótima We R Who We R, da Ke$ha!

 

Ke$ha

Ke$ha

É tosco, é kitsch, é… Tre$ha! Acabou de ser lançado no canal da Vevo da Ke$ha, no YouTube, o clipe do primeiro single do álbum Cannibal: We R Who We R.

Como tem propriedades da Vevo, ele não pode ser visualizado pelo YouTube no Brasil. Como a Ke$ha tem muitos fãs no Brasil, é óbvio que o vídeo já está disponível de outra forma.

A festa de We R Who We R.

A festa de We R Who We R.

A música é super dançante, contagiante, empolgante… para se divertir bastante assistindo, olhe abaixo!

MP3: Kesha_WeRWhoWeR

Anúncios

Vazou The Entertainer, o novo disco da Alesha Dixon!

Capa do disco The Entertainer.

Capa do disco The Entertainer.

Vazou o álbum The Entertainer, terceiro disco da inglesa Alesha Dixon. Ela, que foi uma das minhas boas descobertas de 2009, quando bombava na televisão e nas rádios britânicas com os hits The Boy Does Nothing e Breathe Slow.

Para uma prévia do disco, que estreia no dia 29 de novembro, veja o vídeo abaixo.

DOWNLOAD: AleshaDixon_TheEntertainer

Whataya Want From Me e Heartbreak Down: mais duas músicas completas da P!nk!

P!nk

P!nk

Deus existe! E aparentemente está abrindo as torneiras das gravadoras, porque vazaram mais duas músicas da P!nk: Whataya Want From Me e Heartbreak Down. Elas farão parte do álbum Greatest Hits…So Far!!!.

Inclusive, Whataya Want From Me foi escrita pela P!nk e gravada em 2009 pelo Adam Lambert. Teve até clipe lançado em janeiro desse ano.

Como não tem Heartbreak Down no YouTube, o jeito é baixar para escutar! O que só adianta o processo em uma etapa…

Pink_WhatYaWantFromMe.mp3

Pink_HeartBreakDown.mp3

Vazou o clipe de Firework, agora com uma Katy Perry mais madura!

Katy Perry

Katy Perry

Estreia hoje o clipe de Firework, novo single da Katy Pery. Enquanto sua versão em alta definição não sai, a que vazou serve para matar a curiosidade!

A história do clipe, contada aqui há um tempo atrás, é fruto de uma parceria entre Katy e a T-Mobile, cujo lema é Life’s for Sharing (a vida é para ser compartilhada). Por isso, todos os figurantes do vídeo são fãs da Katy que participaram de um concurso e foram selecionados para participar do clipe.

Cenas de Firework

Cenas de Firework

A gravação foi feita em Budapeste e rendeu um resultado belíssimo, graças à paisagem de uma das capitais mais bonitas da Europa. E não é só a beleza da cidade que torna esse clipe especial, mas também a mensagem dele. A música, fala sobre o potencial de cada pessoa para ser como um “fogo de artifício” ao invés de viver em vão.

Inclusive, hoje a cantora deixou uma mensagem no Twitter oficialmente dedicando o vídeo ao projeto It Get’s Better. Para quem não sabe, o projeto foi criado depois de 6 jovens gays cometerem suicídio em duas semanas, isso por serem desrespeitados ao ponto da situação se tornar insustentável.

O objetivo do projeto é levar mensagens de esperança para essas pessoas, com relatos reais e apoio de simpatizantes, mostrando que no fim tudo sempre melhora. Go, Katy!

MP3: KatyPerry_Firework.mp3

Brinde ao som de Raise Your Glass, novo single da P!nk!

Levantem seus copos com a P!nk.

Levantem seus copos com a P!nk.

Desfazendo o mistério deixado ontem em seu Twitter, P!nk liberou hoje o primeiro single inédito do seu próximo álbum. Raise Your Glass é uma das duas músicas inéditas que farão parte da coletânea entitulada Greatest Hits…So Far!!!, cujo lançamento nos Estados Unidos ocorrerá em 16 de novembro.

O futuro hit foi co-escrito por P!nk em parceria com o produtor Max Martin, e pode ser interpretado como um hino para os excluídos, deslocados e afins. Ou, quem sabe, para os way too much descolados E incompreendidos. Ok, you get it, right?! É pra se acabar mesmo!

Já decorou a letra? Eu já… So raise your glass if you are wrong in all the right ways. All my underdogs, we will never be,never be! Anything but loud and nitty gritty, dirty little freaks! Won’t you come on, come on and raise your glass?! Just come on, come on and raise your glass!

A adorável P!nk estará gravando o clipe para este single amanhã, conforme avisou em seu Twitter. Como ainda não há previsão de lançamento para o disco no Brasil, o jeito é esperar por mais um clipe fantástico!

Será a música do ano? A mais dançante? A mais empolgante? A que vai bombar na balada? Foda-se! É o nosso novo hino!

Então vão aprendendo a letra! Ok, dirty little freaks?

Right right, turn off the lights,
We’re gonna lose our minds tonight
What’s the dealio?

I love when it’s all too much
5am turn the radio up
Where’s the rock and roll?

[Refrão]
Party crasher, penny snatcher
Call me up if you want gangsta
Don’t be fancy, just get dancey
Why so serious?
So raise your glass if you are wrong
In all the right ways, all my underdogs
We will never be never be anything but loud
And nitty gritty dirty little freaks
Won’t you come on and come on and raise your glass
Just come on and come on and raise your glass

Slam slam, oh hot damn
What part of party don’t you understand
Wish you’d just freak out (freak out already)
Can’t stop, coming in hot
I should be locked up right on the spot
It’s so on right now (so f–kin on right now)

(Refrão)

(Oh s–t my glass is empty, that sucks)

So if you’re too school for cool
And you’re treated like a fool
You can choose to let it go
We can always, we can always
Party on our own

(Refrão)

Won’t you come on and come on and raise your glass
Just come on and come on and raise your glass
Won’t you come on and come on and raise your glass (for me)
Just come on and come on and raise your glass (for me)
MP3: P!nk_RaiseYourGlass.mp3

Se você ainda não conhece, tá perdendo: Eliza Doolittle!

Eliza Doolittle

Eliza Doolittle

Eliza Doolittle é a londrina que tem arrancado elogios da crítica desde o lançamento europeu do seu álbum homônimo, em 12 de julho. De lá pra cá ela chegou a ocupar a 3ª posição na lista dos mais vendidos do Reino Unido, recebendo disco de prata (200.000 cópias vendidas) pelas vendas do seu segundo single, Pack Up, e disco de ouro (100.000) pela vendagem do seu álbum de estréia.

Seu estilo tem sido amplamente associado ao da sua conterrânea Lily Allen, que agora se “aposenta”, deixando o caminho livre para a alegria contagiante de Eliza. Boa parte das comparações tratam do estilo adotado no material promocional de Doolittle, mas poucas mencionam a característica mais gritante em comum entre as duas inglesas: a alta capacidade de suas canções de elevar o humor das pessoas.

As capas de Eliza Doolittle, dela mesma e de Alright, Still, da Lily Allen.

As capas de Eliza Doolittle, dela mesma e de Alright, Still, da Lily Allen.

O álbum é excelente, recheado de um pop despretensioso de alta qualidade, por vezes temperado com uma pitada de ska, mesclando o retrô e o moderno.

A jovem, de 22 anos, é capaz de deixar o ouvinte praticamente sem saída na hora de nomear suas faixas preferidas. Mas, sem desmerecer as outras, eu indicaria os dois primeiros singles, Skinny Genes e Pack Up, seguidos pelas viciantes Moneybox, Mr. Medicine e Back To Front.

Deixando de lado as músicas e partindo pro lado pessoal de Eliza Sophie Caird, não se perde o ritmo, o Music Venue entrevistou a garota, que se revelou um amor! Descubra mais sobre ela logo abaixo!

Music Venue: Olá Eliza! Primeiramente, se apresente, por favor.

Eliza Doolittle: Alô! Eu sou a Eliza Doolittle, mas eu faço muita coisa! (Referência ao seu sobrenome que, em potuguês poderia ser traduzido como “fazer pouco”.

MV: Agora, Eliza Doolittle. Essa é uma personagem famosa, que já foi interpretada por atrizes incríveis, como, por exemplo, Audrey Hepburn. Por que escolher esse sobrenome?

ED: Foi um apelido que pegou!

MV: Você vem de uma família muito bem sucedida no ramo do entretenimento, especialmente em musicais para o teatro. Você participou de dois musicais (The Secret Garden e Les Misérables) quando era criança. Então, o que a levou a carreira de cantora pop ao invés de seguir nesse caminho de musicais?

ED: Eu sempre me via cansada de fazer oito shows por semana, eu prefiro muito mais ter uma agenda aleatória. Um dia eu vou ter um show, no próximo uma sessão de fotos e no outro estou fazendo uma entrevista com você! Amo a diversidade!

MV: Você já abriu shows para o Jammie Cullum, Alphabeat e Sia. Está agendada para ser o show de abertura da Paloma Faith nesse ano. Há alguma música que você tenha feito com algum desses artistas e que ainda não foi lançada?

ED: Não. Mas eu e o Jammie Cullum fizemos um cover de The Nearness Of You quando eu estava em turnê com ele. Está no YouTube.

MV: Você tocou em festivais grandes como Party in The Park, T in The Park e Oxegen. O que você prefere, tocar para grandes multidões como essas ou algo mais íntimo como o Notting Hill Arts Club?

ED: Eu prefiro ambientes mais íntimos, mas eu também amo o pensamento de que a minha música está alcançando mais pessoas, então isso me faz amar tocar em shows maiores e festivais também.

Abaixo, uma apresentação de Doolittle no bairro Notting Hill, em Londres, antes do lançamento de seu disco. A versão de Skinny Genes acompanhada somente de um violãozinho é hipnotizante!

MV: Você fez uma Black Cab Session, na qual parecia estar muito alegre. Na verdade, você sempre parece estar muito alegre, com um alto astral. Você nunca fica cansada e chateada de trabalhar tanto? Nunca pensou em desistir da carreira na música?

ED: Nunca! A música significa mais do que qualquer coisa para mim…é a minha droga, meu vício! Eu sou como todo mundo, tenho meus dias tristes e de mal humor, mas eu tento ser o mais positiva possível. Sou incrivelmente sortuda por ter o que tenho e há bastante gente ao redor do mundo que realmente não tem vidas boas…por que eu deveria ser triste?

MV: Você estará na estrada promovendo seu álbum pelos próximos meses (anos, eu espero!). O que você gosta de fazer para relaxar quando está em turnê? Algum hobby em especial?

ED: Dormir! Eu amo jogar cartas, poker especialmente! Estou ensinando os meus garotos (minha banda) a jogar.Eu amo ler também. No momento, estou lendo O Canto Do Pássaro, de Sebastian Faulks.

MV: Eu li que você é “um sopro de novos ares” em termos de moda, isso é impressionante. Como você escolhe suas roupas? Há alguma marca ou designer que você admire?

ED: Eu uso um pouco de tudo! Eu não compro apenas em shoppings ou lojas vintages ou por designers… eu misturo isso tudo! Eu também amo Nikes de cano alto!

Abaixo uma performace de Moneybox, a faixa de abertura do disco.

MV: Por quem você é influenciada?

ED: Eu escuto muita música diferente. De Stevie Wonder a Jeff Buckley, a Radiohead, a Steely Dan… eu espero que isso tudo me influencie de alguma forma e juntando tudo resulte em um som bem enérgico.

MV: Quais bandas/cantores você tem ouvido?

ED: Bandas modernas? Eu amo Vampire Weekend, Janelle Monae, The Drums e Plan B!

MV: O seu album de estreia está na 4ª posição na parada do Reino Unido há quatro semanas. Você esperava chegar tão alto tão rápido? O que você acha disso?

ED: Eu não tinha nenhuma expectativa… eu esperava entrar no top 10, então quando ele atingiu a 3ª posição eu fiquei TÃO feliz! Foi uma surpresa maravilhosa! Sim, e como ele permaneceu tão alto eu estou realmente estonteada!

MV: Você sabe quando o seu album será lançado no Brasil?

ED: Não tenho certeza ainda, mas também mal posso esperar! O Brasil está no topo da minha lista de desejos!

MV: Bem, de acordo com o seu site, você está muito ocupada até novembro. Depois disso, algum plano de vir para o Brasil?

ED: Espero que em breve!

O álbum de Eliza Doolittle estreiou no Brasil em 13 de setembro e o seu mais recente single, Rollerblades, teve clipe lançado na semana passada! Confira abaixo.

Para se manter atualizado sobre a Eliza, visite o site oficial da cantora aqui.

Direto do túnel do tempo, Hands, o novo clipe do The Ting Tings!

Katie e Jules, a dupla The Ting Tings.

Katie e Jules, a dupla The Ting Tings.

O clipe de Hands, novo single do The Ting Tings, acabou de sair. Mas para quem não está sabendo, poderia muito bem se aplicar que o vídeo foi produzido lá pelos anos ’80 e não teria problema nenhum. Provavelmente a pessoa acreditaria!

O vídeo é todo trabalhado no efeito caleidoscópico, cheio de fundos com cores chapadas e efeitinhos de quando inventaram a computação gráfica! Inicialmente a canção não parecia muito boa, sem aquela cara de The Ting Tings, mas é o tipo de música que quanto mais se escuta, mais ela se torna viciante!

Diria até que o clipe tem um ar meio conspiratório com uma abundância de triângulos e olhos, não fosse o fato de eu achar isso uma grande bobagem.

A faixa foi produzida pelo renomado músico e dj Calvin Harris e faz parte de Massage Kunst, segundo álbum de estúdio da dupla inglesa, que deve sair até o fim do ano.

MP3: TheTingTings_Hands